Banho Turco

Algo tradicional na Turquia é o Banho Turco, mas você já se perguntou em como ele funciona literalmente? Porque sabemos que lá dentro é proibido gravar ou se quer tirar alguma foto, então se tem a curiosidade em saber como o mesmo funciona continua aqui, porque vou contar detalhadamente a minha experiência.

Não se sabe ao certo quando começou o também chamado de Hamam, só que este é uma técnica milenar. Esta era usada por comerciantes que viajavam por desertos durante dias e acabavam com sua pele ressecada e poros entupidos de poeira. Assim surgiram as primeiras termas e saunas, o mais interessante é que além do processo de higiene, as pessoas se socializavam mais. Então para as mulheres que mal saiam de casa era um momento de descontração, assim é até os dias de hoje.

 

Eu estive em Istambul por quatro dias e algo que havia colocado em meu roteiro era fazer o tal Banho Turco, mas com isso pairava em minha mente algumas duvidas, tais como: Onde fazer? Será que serão apenas mulheres? O preço? Dói? Relaxa? É higiênico? Então a minha duvida já começava pelo local a escolher, ou seja, antes de ir tomar o banho.

Li muitos posts em blogs, eu peguei muitos flyers no hostel e em agências de turismos, passei em frente de muitos locais (como disse é algo bem tradicional, então não será difícil você passar por um).  Queria um que fosse relativamente próximo ao local onde eu me hospedei, então deveria ser próximo à AyaSofya e a Blue Mosque. Isso, pois eu havia decidido tomar o banho à noite e não queria voltar muito tarde a pé para casa ou pegar transporte público ou uber no período noturno.

Com isso eu escolhi o Çemberlitas, ele ficava algumas quadras do meu hostel. Não era do ladinho, mas um caminho todo movimentado e tranquilo de ser feito. E ali estava a minha pessoa parada em frente a uma portinha pequenininha que mal parecia que iria adentrar um lugar tão grande (a maioria deles são assim, portinhas que você fica até meio com medo de entrar, mas quando entram, os lugares são grandiosos).

O Çemberlitas carrega o nome da região onde está situado em uma área central da cidade. O local em que ele se encontra é uma arquitetura construída em por um arquiteto famoso do país em 1584. O seu diferencial é que quando criaram o espaço não priorizaram o lado masculino. Eles fizeram instalações idênticas para ambos os sexos.

Quando eu cheguei ao local, a primeira pergunta em que fiz foi “Homens são separados de mulheres, ou tudo junto?”. E logo ela me respondeu que a ala masculina era apenas para homens e a feminina era restrita somente a mulheres. O porque eu estava preocupada com isso? Continue lendo que você entenderá.

 

Aí após isso fui querer me informar sobre os valores cobrados. Eu sabia que como eu estava em uma zona turística os preços seriam mais elevados e também vi lugares com preços mais em conta, mas quando eu lia sobre eles, sempre via algo de ruim. E sobre o Çemberlitas só li coisas positivas. Outro ponto como era algo em que eu queria muito fazer e saberia que seria caro, me preparei para isso e antes de qualquer coisa VALEU CADA CENTAVO do meu dinheiro. E já dou-lhes a minha conclusão sem mesmo contar a história: Todos precisam tomar o banho turco ao menos uma vez na vida.

Existem três maneiras de se tomar o Banho Turco: o Self-Service, o Estilo Tradicional e o estilo Luxo. O Self-Service é chamado de Hamam Giris, este te permite o acesso ao local e você mesmo tomará o banho sozinho por TRY 100,00. Você deve ter achado estranho, mas não é não. Acredito que as pessoas que fazem o método com mais frequência acabam por fazer esse, pois dessa forma tira as impurezas do corpo e não precisa pagar para alguém lhe dar um banho. Agora se tu és turista, não opte por essa opção e faça alguma das outras duas opções. Pare de ser munheca ein. A segunda opção, o modo tradicional é a que as pessoas mais procuram fazer quando vai o local. Esse tem o valor de TRY 160,00 e você irá adentrar os aposentos e alguém lhe dará o banho que consiste em sauna, 15 minutos de banho de espuma e 15 minutos de esfoliação e depois você pode ir embora. Agora o terceiro modo e mais caro por TRY 250,00, o modo Luxo, alguém te dará o banho igual ao procedimento tradicional, porém acrescentará 30min de massagem relaxante com óleo.

Fernanda qual você escolheu? Sim eu dei uma de RYCA e peguei o estilo Luxo. Ela falou a palavra massagem e nesse momento já me ganhou. Só que eu dei uma pechinchada e ela diminuiu o valor para TRY 240,00. Aí na hora de pagar eu vi que minhas liras turcas estavam acabando e perguntei se ela aceitava cartão (ANOTEM ESSA DICA, Quando você pergunta se pode passar cartão ou eles te dão mais desconto no dinheiro ou eles te dão algo a mais se pagar no dinheiro, devido as taxas cobradas pelas empresas de cartões de crédito). A verdade é que até seria melhor para mim pagar em dinheiro, mas sem querer perguntei se passava e ela respondeu “Ai, passamos, mas se pagar em dinheiro, eu consigo te dar o tratamento de máscara fácial”. Eu nem pensei duas vezes e paguei em dinheiro.

Além dos três tipos de banhos, eles possuem alguns outros serviços que podem ser acrescentados ou você pode apenas fazer esses serviços sem tomar o banho (TURISTAS NÃO, TEM QUE TOMAR O BANHO, VÃO POR MIM). Dentre esses serviços estão:

  • Máscara facial – TRY 25,00
  • Massagem Indiana (30min) – TRY 90,00
  • Massagem nos pés (30min) – TRY 90,00 (confesso ter ficado tentada e querer pegar essa)
  • Massagem Tailandesa (30min e procedimento apenas para mulheres) – TRY 100,00;
  • Shiatsu Massagem (30min e procedimento apenas para mulheres) – TRY 100,00
  • ACULPUTURA (30min e procedimento apenas para mulheres) – TRY 100,00
  • Manicure – TRY 45,00 (lembrem-se que somente as brasileiras tiram cutícula)
  • Pedicure – TRY 35,00 (Sim, eu estranhei, mas na Turquia o pé é mais barato que a mão.)
  • Depilação – Esse serviço estava sem o preço na tabela, ficarei devendo essa informação.

Agora vamos lá, após eu pagá-la, ela me explicou mais ou menos como seria o banho e me deu um pacotinho em que disse ser meu traje. Mostrou o lado em que eu deveria ir e ali fui muito bem recebida por várias senhoras turcas que praticamente não falavam inglês, somente algumas palavras chaves. Ao ir entrando o lugar foi ficando grande de forma que eu não imaginava visto apenas por aquela portinha singela em que eu entrei. Nesse momento me perguntei em como seria a ala dos homens, pois ali no momento de pagamento a parte das mulheres era uma porta pequena e a deles uma grande em que você via um lounge de Café bem maior do que a parte das mulheres.

Ao entrar no lounge, eu queria poder tirar mil e uma fotos  e sabia que não podia. Eu estava com o celular na mão e ela já pediu para que eu guardasse. Claro que respeitei, muitas ali estavam apenas de toalha. Esse lounge lembra uma pracinha com uma fonte encantadora e cheias de espaços para você se acomodar e caso queira aproveitar o Café do local.

A senhora porém subiu uma escada e me levou no primeiro andar, neste haviam várias salinhas para se trocar e armários para guardar nossas coisas. Ela também me deu um pano xadrez em que pediu para eu utilizar e com gestos mostrou que era cobrindo os seios.

Ao abrir o pacotinho estava uma calcinha preta, meninas lembram-se daquelas carçolas que nossa vó tem? Igual. E outro pedaço de pano que deve ser colocado na mão. Agora você deve estar pensando “só a calcinha?”. Sim, lá dentro todas estarão com os seios à mostra, então deixe a timidez ali dentro do vestiário, vista a calcinha e cubra seus seios com o pano xadrez que a moça te deu. Ficam vários chinelinhos no local em que você pode pegar um que te sirva e descer para começar o banho.

Nesse momento você saberá quem será que te dará o banho, pois ela que te mostrará o local e com gestos falará o que fazer. Ela ficará falando em turco mil e uma coisas. Única coisa que eu fazia era sorrir, mas meus olhos expressavam um medo de experimentar algo novo e minha mente me dizia “Fernanda, que merda é essa que você tá fazendo?”.  Ela me levou em um lugar grande estilo uma sauna. Seu formato me lembrou dum planetário, ao seu redor haviam várias torneiras para quem fizesse o Self-Service e que também depois eu vim usar. E ao centro era como se fosse uma bancada gigante redonda, como o local. Ela tirou de mim o paninho xadrez em que cobria meus seios e estendeu, pediu para que eu deitasse e saiu.

Eu juro que se eu fosse a única no local, iria sentir um medo que não sei nem descrever, mas não. Ali tinham várias outras mulheres deitadas e sentadas somente de calcinha. Outras estavam tomando o banho por conta própria e uma estava em meio ao procedimento, no qual eu assisti um pouco. Parei de olhar, porque iria ficar uma coisa chata eu olhar a menina seminua tomando banho.

Passaram uns 15 minutos em que eu fiquei “fazendo sauna” e olhando para o local que era incrivelmente bonito e a mesma senhora voltou, agora ela não estava com seu vestidinho e sim só de sutiã e calcinha. Ela pegou aquele paninho de mão que veio dentro do saquinho com a calcinha e virou, do outro lado ele era como uma lixa fininha e assim começou um processo de esfoliação corporal. Devido estar na sauna há um tempo a pele amolece, os poros abrem e ela praticamente começa uma limpeza de pele, só que para o corpo todo. Ela me esfoliou inteira, desde o rosto até os pés. Depois jogou vários baldes de água em mim para sair aquela pele morta (nojento, eu sei, mas ótimo). Aqui era o momento em que eu pensava que poderia doer do tratamento, mas não senti dor alguma.

 

Após isso ela colocou vários baldes ao meu redor e começou com um pano a jogar espuma  sob meu corpo. Ela jogava a espuma e esfregava o meu corpo, lavando-o inteiro. Desculpem por ser aberta, mas claro que na “piriquita” ela não lavava né. Somente no resto do corpo, mas sim seus seios ela lavava e a vergonha? Tu deixou lá no vestiário. Aí a bendita volta a jogar mais muitos baldes de água em você para tirar a espuma. Gente, o melhor era ela falando em turco, eu sorrindo e ela apertava minhas bochechas, tipo quando você vê uma criança. Acho que ela me amou hahahahaha, ou ela podia estar me xingando e eu estava só a sorrir hahahaha. As palavras em inglês que ela usava eram apenas para eu me virar, sentar, ou ir com ela.

Depois de muitos baldes de água, vieram os últimos sob o cabelo.  Ela me chamou e fomos até aquelas pias ao redor do ambiente. Pediu para que eu me sentasse em estilo banquetas de pedra e ela começou a lavar o meu cabelo. Apenas com shampoo e uma massagem rápida, mas deliciosa na cabeça. Mais baldes de água vieram e quando toda a espuma se foi eu percebi que tinha acabado o famoso banho turco. Algo em que eu achei purificante e ótimo para a pele. Nisso ela me chamou para fora do local e me deu uma toalha grande e felpuda para me cobrir, outra colocou em meus cabelos e me levou até uma sala escura, cheias de macas de massagem. Aí conheci uma outra mulher, na qual já falava um pouco de inglês. Mas praticamente não conversamos, pois foi um momento total relax para mim.

Ela fez 30 minutos de massagem que poderia ter sido umas 3h de tão boa, não foi nem forte demais, nem leve demais, foi na medida correta. Depois ela colocou a máscara em minha face e fiquei com ela cerca de 15min a 20min. Após esse tempo ela falou que eu poderia ir para o chuveiro tirar a máscara e o óleo. Ali tomei um banho em que molhei os cabelos novamente. Quando finalizei todo o processo outra mulher me perguntou se eu queria ficar em uma pequena piscina de água quente relaxando e claro que eu fiquei por uns bons minutos.

Ao sair da piscina me enrolei na toalha felpuda e seguia rumo aos vestiários, nesse momento você passa por aquele saguão em que citei na entrada e elas te oferecem alguns produtos do local. Eu sem pensar duas vezes peguei um chá turco, eles tem muito o costume de tomar chá no país, sendo a maioria deles muito bons. Tomei e esquentei mais ainda o corpo. Depois subi e me arrumei para ir embora. Nesse momento fiquei pensando “Fernanda, sua burra. Tu não trouxe uma escova de cabelo, vai sair com o cabelo tudo embolado”, foi nesse instante em que eu ouvi o barulho do melhor amigo do meu elemento favorito de quando vou viajar. Se você não entendeu, pare um instante e leia o nome do meu blog. Agora me responda: Qual o melhor amigo da chapinha? O secador é claro. E senti um alívio, pois abri a porta e vi uma área chamada “área para secar cabelos”. Fui até lá e desembaracei todo o cabelo, usei o secador, mancada do lugar, mas não tinha chapinha. Porém eu estava tão relax que nem ligava. E fim, eu agradeci as senhoras que sorriam e falavam mais coisas que eu não entendia e fui embora.

O que eu achei dessa experiência? Que todo o mundo precisa tomar esse banho ao menos uma vez na vida e estou me perguntando até agora o porque de não ter esse banho nos outros lugares do mundo. Parece que tiraram um peso das minhas costas, sai de lá uns 5 quilos mais leve. Não só questões físicas, mas com a mente tranquila. Sem contar que eu passava a mão na minha pele e ela estava deliciosa. Se eu indico? Indico à todos com certeza.

Mais Informações:

Çemberlitaş Hamamı

Endereço: Vezirhan Cad. No 8,

İstambul – Turquia

Telefone: +90-212-522 79 74

Site: http://www.cemberlitashamami.com

 

Comments

comments

Deixe um comentário