Machu Picchu

Essa é uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno e o melhor disso é que ela está pertinho de nós brasileiros, fica no vale de Urubamba em Águas Calientes no Peru.

O local também é conhecido como a “Cidade Perdida dos Incas”. Foi construída por esse povo no século XV, porém somente foi redescoberto em 1911. Com isso muito já havia se perdido, tanto que apenas 30% da arquitetura do lugar são de construção original e 70% fora reconstruído. Para especialistas é fácil determinar quais as partes novas e as antigas, porém uma dica para nós: a construção original utilizava de pedras maiores e pouco espaço entre elas, já a nova utilizou pedras menores e há muitos espaços entre as mesmas.

O Machu Picchu é formado por duas grandes áreas, uma com vasta vegetação e a outra parte é urbana. Não que hoje seja habitada, porém antigamente era assim, sendo que a urbana contava com templos, praças e algumas residências reais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sempre achei incrível como uma população desprovida de tecnologia, devido à época, conseguiu realizar construções tão grandiosas. Sem contar que eles não faziam isso em lugares planos, mas sim em topos de montanhas. Na verdade até hoje me pergunto à forma que eles subiram as pedras, no planejamento e só chego a uma conclusão: os Incas eram INTELIGENTÍSSIMOS.

Por isso eu quis conhecer e admirar com os meus próprios olhos esse Patrimônio Mundial da Unesco. Dessa forma, vou contar para vocês um pouco de como foi o meu passeio por lá.

A minha intenção era dormir na cidade de Águas Calientes e acordar disposta para desbravar Machu Picchu no outro dia. Então cheguei à cidade de trem (fui com a Peru Rail) por volta das 22h. Fui para hotel descansar. Confesso que não acordei cedo no dia da minha visita, muitos falavam “seja a primeira a entrar”, mas muitos também falavam “todos tem essa ideia de chegar primeiro e aí lota”. Então não me preocupei em ser a primeira a entrar e acreditei que um dia seria suficiente por lá. Então acordei as 09h e estava no centro da cidade comprando o ticket do ônibus às 10h30m

Para achar o local onde se vende o ticket é fácil, fica em uma das principais ruas da cidade, bem na beira do rio. Algo que achei ABSURDAMENTE caro foi o valor do ônibus para chegar à Machu Picchu. O valor em junho de 2017 era de U$ 12 (dólares) ou $ 38 (soles). Aproximadamente R$ 38,00. Eu achei caro esse valor para subir e depois esse valor para descer, tem gente que compra só a subida e depois volta a pé. Mas eu pensei “vou andar um monte lá, vou estar morta de cansada”, então comprei ida e volta. Outra forma de subir até o local é a pé. Aproximadamente 1h30min de subida íngreme, para os aventureiros e dispostos ficam essa opção.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A subida de ônibus demora cerca de 20min e eles te deixam em frente à entrada do sítio arqueológico. Não vi bilheteria lá em cima, no topo da montanha. Então deixo a dica: já vá com seu bilhete comprado. Muitos falavam “compra pelo site com antecedência que é mais garantido”, não fiz isso. Eu comprei em uma agência na cidade de Cusco, o preço saiu melhor do que se eu tivesse comprado via internet (R$ 152,00). Agora se vocês forem fazer uma das trilhas de montanhas na cidade inca, aí com certeza DEVEM comprar no site sim. Porque elas se esgotam facilmente. Mas o meu intuito era conhecer apenas Machu Picchu mesmo, então acabei comprando em Cusco. Se estiver em Águas Calientes sem o ticket na mão há uma bilheteria próxima à praça principal da cidade.

 

Ao chegar Ao local a minha principal dica é: VÁ AO BANHEIRO. Lá dentro não há nenhum toilet, então você passará horas segurando o xixi. Depois é só você se decidir se quer a contratar um guia ou não. O valor para um guia privado é de R$ 120,00 e de um que você compartilhará com um grupo que ele irá montar é de R$ 20,00 por pessoa. Ele te acompanha por 2h no interior do parque e te conta um pouco sobra à história e arquitetura do lugar.

Ao entrar você já se impressiona com a grandiosidade de Machu Picchu. É realmente muito grande, lindo e te traz uma paz imensa. Você passeia em meio à vegetação, montanhas, ruínas, pontes e sempre boquiaberto com as construções em meio à natureza que o homem pode fazer.

 

 

 

 

 

Eu fiquei dentro do lugar por volta de 3h30min e ficaria mais com certeza. Porém precisava ir ao banheiro e o segurança não havia me permitido sair e entrar novamente. Outro empecilho que eu considerei não foi não haver nenhum lugar para comer, mas não me deixaram comer. Levei uma bronca de um segurança ao comer uma mexerica. Isso que estava colocando a casca e sementes em um pacotinho na minha bolsa. Não sei se eu estava em um determinado lugar que não podia comer, mas sei que a bronca eu levei. Mas não é porque eu levei uma chamada de atenção que vocês não devem levar. Levem e tentem comer esses snacks por lá, porque lá dentro não têm restaurantes, nem banheiros. Então por volta das 14h30min saímos de lá e tomamos o ônibus de volta à cidade.

Conhecer Machu Picchu foi uma das melhores experiências da minha vida. Fico até agora pensando “que não somos nada perante o mundo inteiro”, porque com certeza lá é um lugar onde você reflete sobre a vida, o porquê está aqui e com certeza AGRADECE a oportunidade de estar nesse mundo e naquele lugar.

 

Comments

comments

Deixe um comentário