Vinícola Concha y Toro

Com toda a certeza eu iria conhecer uma das maiores vinícolas do Chile enquanto eu estivesse por lá. Então leia um pouco sobre o local, como funciona o tour e o que eu achei de ir lá, mas já adianto que não foi uma das melhores experiências da minha vida.

A vinícola Concha y Toro é uma das mais requisitadas pelos brasileiros quando vão ao Chile, isso porque seus vinhos são muito conhecidos por aqui. Praticamente todas as pessoas já ouviram pelo menos uma vez falar no vinho Casillero del Diablo. Esse e muitos outros são da marca, então querem ver de perto o local onde ele é fabricado e saber um pouco mais sobre a história.

Como disse anteriormente, ela é uma das maiores vinícolas do Chile e fica localizada em Santiago, capital do país. A marca distribui seus produtos não só para o próprio Chile, mas exporta para mais de cem países. Se está pensando se são muitos os tipos de vinhos que eles vendem, sim. Eles fabricam mais de doze tipos de bebidas, dentre elas vinhos, espumantes e outras.

 

Como ir ao local?

Eu fechei meus passeios pela cidade de Santiago e região com a Tour em Chile, então para chegar até a vinícola foi algo simples. Eles passaram com uma van em casa no horário marcado e nos levaram direto até o local. Ali eles já nos encaminharam até lá dentro e já estávamos até com os ingressos comprados. Ou seja, se não quiser dor de cabeça e ter muita preocupação a melhor opção é fechar com uma agência.

Só que é possível ir de carro até o local, táxi, transporte público e caminhando. A última definitivamente eu não indico, pois o local é bem afastado da cidade. Caso decida ir com transporte público se preparem porque vai demorar um pouquinho para chegar lá. Nesse caso será necessário pegar não só o metrô, mas também o ônibus. Você no metrô pegará a linha 1 (vermelha) até a estação Tobalaba, aí deve trocar de linha e seguir na linha 4 (azul) até chegar na estação Las Mercedes. Aí você precisará saltar e sair do metrô. Nas redondezas fica alguns pontos de ônibus e alguns que passam pela vinícola são os nº 73, 80 e 81. O percurso por completo saindo do centro de Santiago leva em torno de 1h30m.

Muitos vão de metrô até Las Mercedes e ao invés de irem de ônibus até a Vinícola Concha y Toro vão de táxi. Acabará sendo um pouco mais caro, mas também mais rápido e bem mais barato do que ir de táxi desde o centro.

 

Como funciona o tour pela vinícola?

Vou ser sincera não é um tour muito exclusivo, muitos buscam fazê-lo. Ou seja, você com certeza fará em um grupo com muitos outros integrantes e eles são tão acostumados e preparados para brasileiros que muitos guias falam português ou até mesmo são brasileiros. Quando chegar ao local pode escolher se quer o tour em espanhol ou português, acreditam? Achei isso o máximo, visto que em muitos países pelo mundo eles descartam a nossa língua. Há dois tours que são mais comuns a serem feitos o tradicional que é o que a maioria realiza e o tour Marques de Casa Concha que é o tradicional, porém com degustação de queijos finos.

Só que se você faz questão de um tour exclusivo há a possibilidade de fazer um tour chamado Don Melchor em que um sommelier te acompanha e faz uma explicação mais apurada sobre os produtos e o local (esse tem necessidade de fazer reserva com antecedência mesmo). Só que normalmente fazemos o tradicional mesmo já que ele é bem completo, quer dizer a única coisa que você realmente não irá conhecer é o casarão por dentro.

Pelo percurso você conhece a história da vinícola e do local, também fica sabendo sobre como foi concebido o lugar. O interessante é que ele aborda até detalhes sobre o jardim. Depois o grupo segue até a primeira área de degustação. Ali vocês ganham uma taça na qual podem levar de lembrancinha. Isso acontece ainda no jardim em frente a um lago com muitas árvores fazendo sombra nos turistas e ali eles servem e explicam sobre o Sauvignon Blanc.

Dali o grupo segue para o jardim de variedades, aonde há algumas parreiras de uvas de diversos tipos. Sem brincadeiras eu nem imaginava ter tantos tipos de uvas como possuem no local. Você nessa área pode tirar fotos à vontade e experimentar algumas uvas tiradas do pé e isso é realmente delicioso. O guia nesse local explica um pouco sobre os tipos de uvas, mas de forma bem rápida e depois sobe para o local da segunda degustação de vinhos. Nessa degustação o turista experimenta o vinho Marques de Casa Concha Carmenere.

Após experimentarmos esse vinho entramos para conhecer a bodega e ouvir uma das partes em que mais nos intriga ao ir ao local: a lenda do Casillero del Diablo. Ali você irá assistir a um pequeno vídeo contando a história, mas é um pouco tenebroso e se você for claustrofóbico não indico irem. Pois o local é como um porão todo fechado e escuro, e para começar a contar a história eles apagam todas as luzes. É muito interessante não só o vídeo, mas o local em si cheio de vinhos armazenados por todo o lado e uma salinha em que você ao fundo vê o “diabo”. Isso em um jogo de luzes, mas muito legal de ser visto.

Depois vocês irão subir para a parte interna do salão e fazer a terceira e última degustação em que provarão o vinho Terrunyo. O guia ali da as últimas explicações sobre o local e agradece a presença de todos. Sim, acabou o tour nesse momento, aí você pode seguir para a loja ou restaurante. O percurso completo demora cerca de 01h, ou seja, é possível conciliar com mais de um passeio no dia.

 

Preço do tour e reservas:

O valor para realizar o tour não é dos mais baratos e cada ano que passa eles sobem mais ainda o preço. Isso porque a procura aumentou e também a qualidade da apresentação do local. Quando eu fui em março de 2018 o valor estava $ 16.000 pesos chilenos. Já o tour exclusivo que um sommelier te acompanha custa aproximadamente $ 25.000 pesos chilenos e dura um pouco mais do que o tour tradicional. Para finalizar o valor do tour Don Melchor que sai por volta de $ 67.000 pesos chilenos. Para diferenciar o tour em que você está fazendo, eles te dão aquelas pulseirinhas coloridas e cada cor significa um tour diferente. Agora vem a dica, dependendo da época ou data que for não deixe para adquirir seu ingresso na hora, pois há um limite de pessoas que pode fazer o tour em cada grupo. Então em feriados e alta temporada poderá estar lotado, então faça a reserva pelo site. Também porque se um grupo já reservou o horário em que você chegar para visitar, você terá que esperar até o momento que tiver um espacinho pra você.

 

História da marca:

A história da marca se iniciou em 1883 quando Don Melchor de Concha y Toro, advogado, empresário e político influente do país junto com sua esposa Emiliana Subercaseaux fundaram a vinícola com o nome de Marquês de Casa Concha. O local de suas fazendas possuía o solo favorável para a plantação e cultivo de uvas, juntamente com o clima perfeito para que essas frutas se fortificassem. As primeiras mudas foram importadas de Bordeaux (região francesa conhecida mundialmente por seus maravilhosos vinhos). Logo no início a colheita já foi boa e eles então onvestiram na contratação de um enólogo francês, o Monsieur Labouchere, esse encarregado do preparo dos vinhos.

Com o decorrer do tempo e reconhecimento de seus ótimos vinhos, muitos ladrões assaltavam sua adega atrás de boas garrafas da bebida e para impedir que isso continuasse surgiu a lenda que leva o nome de um dos principais vinhos da marca: Casillero del Diablo. Don Melchor dizia que o Diabo morava em sua bodega e era ele o guardião dos vinhos. Muitos não acreditavam e tentavam roubar, mas com velas e sombras ele deixava o formato de um diabo ao fundo do local e assim espantava definitivamente os ladrões. A lenda deixou o vinho mais conhecido e com o tempo seu filho entrou nos negócios e ajudou ainda mais a marca a prosperar. Após isso foram muitos os produtos que surgiram e o mundo todo sendo conquistado. A marca está presente em mais de cem países do mundo e já ganhou diversos prêmios devido sua qualidade ser excepcional.

 

Tenho mais algumas dicas para dar sobre essa vinícola. Que são mais as minhas conclusões sobre a mesma. Eu achei legalzinha, acho que algumas das vinícolas da Serra Gaúcha são bem melhores do que essa. Tanto nas explicações, quanto nos sabores. Como a Concha y Toro é muito bem recomendada e todos querem conhece-la, ela fica um inferno de tanto turista. Os guias querem fazer um tour correndo, então perde aquela vibe de tomar um bom vinho e admirar a paisagem. Ou faz um, ou faz outro, ou presta atenção, ou tira foto. Porque se quiser fazer tudo não dá de tão rápido que eles fazem o tour, porque logo atrás já está chegando outro grupo.

 

 

 

 

 

 

Como eles ficaram “famosinhos”, eles estão subindo muito o preço e o atendimento está caindo. Apresentam correndo e o serviço não só do tour, mas do restaurante estava péssimo. Reservamos mesa no restaurante do local com antecedência e ao chegarmos “cadê nossa mesa?”. Nosso grupo foi separado e fomos sentando nas mesas em que foram ficando livre. O pedido demorou um absurdo de tempo e os sabores dos pratos deixaram a desejar. Até cabelo em um deles tinha. Tirando que os preços eram altos, então NÃO RECOMENDO almoçarem no restaurante do local. Após seu tour e compras na loja saia e vá em um restaurante na cidade. Tenho a certeza de que será bem melhor. O mais engraçado é que no local tinha um livro de sugestões e ao abrir praticamente todos os comentários da página era criticando os alimentos, até lembro que eu ia pedir um “Pastel de Choclo” tradicional prato chileno e a primeira mensagem que eu li dizia “Ao chefe, por favor colocar mais amor no Pastel de Choclo, pois ele estava sem sal e sem graça”, após isso mudei o meu pedido na hora.

Na região de Santiago há inúmeras vinícolas e eu se fosse você iria conhecer as menores e não tanto exploradas, tenho certeza de que a sua experiência será bem melhor. Agora se tiver que ir em apenas uma, sim vá na Concha y Toro que de uma forma rápida aborda diversos tipos de vinho em um só lugar.

 

Mais informações:

Vinícola Concha y Toro

Endereço: Avenida Virginia Subercaseaux 210. Santiago – Chile

Telefone: +56 2 2476 5680

E-mail: reserva@conchaytoro.cl

Site: Concha y Toro

 

Salve esse post no Pinterest!

Comments

comments

Deixe um comentário